Comunicação

Udesc lança Observatório de Inovação Social de Florianópolis no dia 21 setembro

11/09/201714:47:42

A Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) realiza no próximo dia 21, às 18h30, no Auditório do Centro de Ciências da Administração e Socieconômica (Esag), o lançamento oficial do Observatório de Inovação Social de Florianópolis (Obisf), uma plataforma digital e colaborativa, de acesso livre, que visa mapear, dar visibilidade e fortalecer a rede do Ecossistema de Inovação Social (EIS) da Capital.

Resultado de uma parceria com diversas instituições representativas do poder público, do meio empresarial e da sociedade civil que compõe o EIS de Florianópolis (leia abaixo), a plataforma foi desenvolvida por uma equipe de pesquisadores, professores e estudantes da Udesc Esag, por meio de uma pesquisa coordenada pelas professoras Carolina Andion, líder do Núcleo de Inovações Sociais na Esfera Pública (Nisp), e Graziela Alperstedt, coordenadora do Laboratório de Educação para a Sustentabilidade e Inovação Social (Leds).

Iniciativas e atores de suporte

A plataforma disponibiliza informações sobre dois tipos de atores que compõem a rede do EIS do município: as iniciativas de inovação social, que promovem soluções para problemas públicos; e os atores de suporte, que as apoiam em termos de financiamento, formação, aceleração, promoção do empreendedorismo social, pesquisa e outros.

As informações são fornecidas pelas próprias iniciativas e atores de suporte, que podem se cadastrar para incluir os dados diretamente no sistema. Segundo as pesquisadoras, "o conteúdo em seguida é complementado e validado pela equipe do Obisf, que também fará um acompanhamento sistemático de algumas experiências de inovação social da rede que estão promovendo incidência nas arenas públicas da cidade".

Quase quatrocentos atores mapeados

Para implantação do observatório, os pesquisadores têm atuado junto às organizações parceiras e aos atores cadastrados, em um processo colaborativo.

"Para mapear as iniciativas, foi realizada uma pesquisa exploratória, utilizando a técnica da "amostragem por bola de neve", na qual os primeiros atores identificados indicavam outros com os quais se relacionavam. Assim, antes mesmo do lançamento, foram mapeados 193 atores de suporte e 191 iniciativas de inovação social que atuam em Florianópolis", afirma a professora Carolina Andion.

Recursos

Entre os recursos da plataforma está a visualização do ecossistema em um mapa georreferenciado no qual os usuários podem ter acesso às informações cadastradas de cada um dos atores mapeados, tais como dados de contato, causas em que atuam e público-alvo.

A plataforma oferece também um panorama geral dos atores cadastrados e permite visualizar a rede de interações entre eles, além de produzir gráficos sobre os dados coletados.

O mapeamento do ecossistema inclui ainda as leis e políticas públicas de apoio à inovação social, nos âmbitos municipal, estadual e federal, e uma síntese dos principais problemas públicos da cidade - o que permite cruzar as iniciativas com os problemas em torno dos quais se mobilizam.

Segundo as pesquisadoras, uma das finalidades da plataforma é "promover a interação, o intercâmbio e a aprendizagem coletiva entre os atores do EIS, reforçando experiências de inovação social e ampliando sua incidência nas arenas públicas da cidade".

Lançamentos e outras ações

Além do lançamento oficial, a equipe do observatório planeja outras ações futuras junto aos parceiros e atores do EIS, tanto na universidade quanto em outros espaços da cidade. A programação foi proposta em uma oficina de co-criação realizada pela equipe do Obisf, em 22 de agosto, na Udesc Esag, junto com representantes das organizações parceiras e da comunidade acadêmica.

Voltar ao índice